Neurologia de Emoções

O acto de pensar, sentir e decidir pressupõe um trabalho em conjunto do cérebro emocional e do cérebro racional.

Damásio demonstrou a impossibilidade de separar a emoção da razão.

Nós sabemos que temos medo, que estamos apaixonados ou irados porque a nossa consciência reuniu, ao mesmo tempo, um conjunto de manifestações corporais e de imagens mentais que as acompanham para constituir um todo.

Psiquiatras e psicólogos desmentiram a teoria de que quanto mais elevado fosse o QI (Quociente de Inteligência) de uma pessoa, maior era a probabilidade desta alcançar sucesso na vida, através da comprovação de que pessoas com o QI abaixo da média conseguiram sucesso na vida, enquanto outras com QI elevado ocupam posições sociais baixas. É necessário haver um equilíbrio entre o QI e o QE (Quociente Emocional), isto é, entre a mente racional e a mente emocional. Os sentimentos são essenciais para o pensamento e vice-versa.

Não existe um conceito exacto de emoção, cada conceito da mesma surge de uma abordagem teórica.

Para Damásio, a emoção é um conjunto de mudanças a que ele chama estado do corpo.

Os neurocientistas separam as emoções dos sentimentos.

Emoções: são impulsos neurais que movem o organismo para a acção, estas são geradas por percursos biologicamente automatizadas.

Aparecem na infância, não dependem da experiência da pessoa e é possível identificá-las.

O desenrolar automático destas emoções é da responsabilidade do sistema límbico

Exemplo: alegria (prazer), medo, surpresa, repúdio, raiva e tristeza. O prazer e o medo são as únicas emoções com local específico no cérebro.

Sentimentos: são as emoções filtradas através dos centros cognitivos do cérebro, especificamente o lobo frontal, produzindo uma mudança fisiológica em acréscimo à mudança psico-fisiológica.

Os sentimentos são informações que seres biológicos são capazes de sentir nas situações que vivenciam, são as nossas respostas às circunstâncias desenvolvidas ambiental e culturalmente.

O sentimento é uma consequência da emoção com características mais duráveis.

Não é possível observar um sentimento nos outros, a não ser pelos sinais que indicam os sentimentos de alguém.

A sua ocorrência exige a participação do funcionamento do córtex pré-frontal do lado direito (afectividade).

Exemplo: preocupação, antecipação, frustração, cinismo e optimismo.

Existem algumas relações entre sentimentos e emoções, as emoções são públicas, os sentimentos privados, a emoção é inconsciente e o sentimento, pelo contrário, consciente.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s